Black Power no casting do calendário Pirelli 2018, por Tim Walker

Tim Walker e grande equipe reinventam Alice no País das Maravilhas, com casting 100% negro para calendário Pirelli 2018.

Sob o styling de Edward Enninful, editor chefe da Vogue, e fotografado por Tim Walker, famoso por trabalhar tons dramáticos e lúdicos em seus ensaios, o calendário 2018 da Pirelli traz a reinvenção do famoso conto “Alice no País das Maravilhas” de Lewis Carroll, com um casting 100% negro. A ideia vem da necessidade de explorar noções de beleza no que refere-se à representatividade de personagens ficcionais icônicos, onde a maioria são brancos.

“A história de Alice foi contada tantas vezes e de tantas formas, mas sempre com um casting branco”… “Como fotógrafo, você nunca quer fazer algo que já foi feito, por isso foi importante sentir que eu estava fazendo algo completamente diferente. Nunca houve uma Alice negra, então quis instigar como personagens ficcionais podem ser representados, além de explorar a evolução de ideias de beleza – não se trata de tendências, trata-se, hoje, do zeitgeist”.

No editoral a Alice é personificada pela modelo sul-sudanesa radicada na Austrália Duckie Thot, que, aos 21 anos, está vivendo o seu próprio conto de fadas. “Estou orgulhosa em fazer parte de algo que transmite uma mensagem tão importante sobre orgulho e auto expressão”, diz Duckie.

No casting ao lado de Duckie estão nomes importante como Lupita Nyong’o representando Arganaz, a poderosa Ru-Paul como Rainha de Copas, Djimon Hounson como Rei de Copas, Whoopi Goldberg como Duquesa e Sasha Lane como Coelho Branco; os modelos Thando Hopa como Rainha Branca, Naomi Campbell como soldada da Rainha de Copas, Adwoa Aboah (fundadora da Gurls Talk) como Tweedledee, Slick Woods como Chapeleiro Maluco, Wilson Oryema (o artista queridinho de Grace Wales Bonner) como Sete de Copas e Alpha Dia como Cinco de Copas; o ilustrador King Owusu como Dois de Copas; a stylist Zoe Bedeaux como Lagarta; além dos rappers Lil Yatchy personificando o Guarda da Rainha de Copas e Sean Combs (P. Diddy), ao lado de Campbell, também como soldado da rainha.

TIM WALKER FOTOGRAFANDO©ALESSANDRO SCOTTI/REPRODUÇÃO

Entre as demais opiniões a modelo albina e promotora sul-africana Thando Hopa divide sua felicidade ao ver uma representação tão forte ser atrelada a uma publicação única como a Pirelli, que apenas em 1987 teve seu casting formanda apenas por negros. Sendo seu único desejo que as pessoas entendo a intenção que há por trás disso tudo.

“Quando eu era mais nova, não tive um modelo sequer que se parecesse comigo, que poderia ter sido uma fonte de inspiração ou motivação”, diz Thando “Qualquer garota – não importa se negra, branca, asiática ou indiana – deve ter a noção de que também pode ser uma heroína em seu próprio conto de fadas”, finaliza. 

TIM WALKER FOTOGRAFANDO©ALESSANDRO SCOTTI/REPRODUÇÃO

O stylist Enninful acredita que é importante dar voz às pessoas nessa nova geração, que sempre procuram respostas às questões que lhes interessam, e acredita que a discussão vai muito além da cor da pele, tendo a inclusão que será promovida como um dos principais fatores.

“É sobre todos os credos, todas as cores, todos os tamanhos e pessoas vivendo sua própria verdade”, diz ele. “Dado o estado do mundo em que vivemos hoje, às vezes acho que todos nós nos sentimos como se tivéssemos caído no buraco do coelho”, finaliza.

Written by

Estudante de Design de Moda, me encontro nesta área com o fascínio de entender o mercado de moda e os padrões que permeiam a sociedade. Por esse motivo criei a FRANK'S HOUSE mag, site que vem com o próposito de questionar comportamentos rotulados.

Deixe uma resposta